Conecte-se conosco

Inscrever-se

Várzea Paulista

Defesa Civil faz reunião pós-desastre das chuvas recentes

Número de interdições residenciais e dados sobre o acidente que infelizmente vitimou cinco pessoas foram compartilhados; medidas que vêm sendo adotadas também foram divulgadas

Na quarta-feira (9), a Comdec (Coordenadoria Municipal de Defesa Civil) de Várzea Paulista realizou uma reunião, no auditório da Praça CEU, para compartilhamento de dados sobre ações de resposta aos danos causados pelas fortes chuvas desde o dia 30 de janeiro entre representantes dos vários setores da Prefeitura que compõem esse colegiado. No balanço divulgado, abordaram-se algumas causas da infeliz morte da família de cinco pessoas no Jardim Promeca e foi divulgada a necessidade da interdição total de 38 residências.

Após um minuto de silêncio em homenagem às vítimas soterradas — Ricardo Eugênio dos Santos, 41 anos, a esposa, Tatiane Aparecida dos Santos, 30 anos, e os filhos: Richard Eugênio dos Santos, 12 anos, Nicolly Eugênio dos Santos, 10 anos, e Thayany Eugênio dos Santos, bebê de apenas 1 ano e 2 meses — o coordenador da Defesa Civil da cidade, Cristiano Vargas, relatou como foi o resgate e apontou fatores que ajudaram a provocar o acidente que soterrou a família. Segundo ele, a forte chuva ocorrida em apenas três dias — volume de 395 mm, quando o esperado eram 238 mm para todo o mês de janeiro — foi fundamental.

A quantidade de águas das chuvas que escoaram de casas acima da residência das vítimas e a presença de bananeiras próximas (que retêm água, ficam pesadas e favorecem deslizamentos) também foram fatores importantes.

Na reunião, Vargas também fez questão de elogiar a integração entre os setores envolvidos nas respostas aos problemas causados pelas chuvas, inclusive a Unidade Gestora de Infraestrutura Urbana, muito importante na atuação no espaço onde houve o soterramento.

Segundo o coordenador, foi necessário que a Defesa Civil e a Unidade Gestora de Obras atuassem em conjunto para a interdição total de 38 residências varzinas (casos nos quais a família precisa sair do local) e 12 interdições parciais para a segurança dos moradores. Os casos de famílias em vulnerabilidade social foram comunicados à Unidade Gestora de Desenvolvimento Social, para análise e possível auxílio a essas pessoas por meio de programas assistenciais.

As famílias de casas totalmente interditadas precisam contratar um profissional de engenharia civil para fazer o laudo necessário atestando que a casa pode ser habitada, após novas possíveis obras necessárias de forma que, aí sim, possa ser feita uma nova vistoria por parte da Defesa Civil e Unidade de Obras para a autorização da volta dos moradores ao local. Para tirar dúvidas e comunicar eventuais problemas para conseguir seguir essas etapas, a pasta de Obras atende pelo telefone 4606-8664, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, e faz atendimento presencial, nos mesmos dias, das 9 às 16 horas. O endereço é Rua João Póvoa 97 (1º andar do Facilita).

A Prefeitura tem buscado recursos estaduais e federais para auxiliá-la nas obras de correção e outros serviços necessários de reparação dos danos. O Governo Estadual anunciou, na semana passada, que enviará R$ 1 milhão para a contratação de serviços de resposta a esses estragos que a Prefeitura não tem condições de fazer neste momento. Segundo Vargas, existe a ideia de que parte desse valor seja usado na contratação de um novo levantamento detalhado das áreas de risco da cidade.

O coordenador também informou que já foi enviado um relatório ao Governo Federal, com um levantamento de serviços públicos necessários em diversos pontos da cidade. O objetivo é tentar angariar recursos da União que possam ajudar a viabilizar esses serviços.

Também está sendo criado um Fundo Municipal da Defesa Civil, cuja lei ainda precisa ser aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito professor Rodolfo. O fundo será gerido pela COMDEMA e reunirá eventuais doações e outras verbas que poderão ser obtidas e deverão ser usadas nos trabalhos de defesa civil na cidade.

Na última sexta-feira, houve três reuniões, uma delas com a participação do coordenador, junto de diversos representantes do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, inclusive a ministra Damares Alves; nos encontros, representantes federais conheceram mais de perto a realidade social da cidade e, com os dados obtidos, verificaram a possibilidade de incluí-la em programas sociais federais de auxílio a pessoas afetadas pelas fortes chuvas recentes.

Cadastre-se

Insira seu email para receber as novidades

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Matérias mais vistas

Prédio do novo Fórum da Comarca de Itupeva é inaugurado

Itupeva

TCE julga irregular repasse de R$ 98 milhões para o HSV em 2015

Jundiaí

Carnaval 2022: Veja o que abre e fecha em Campo Limpo Paulista

Campo Limpo Paulista

Cultura lança o programa Pé de Ouvido

Jundiaí

Cadastre-se

Insira seu email para receber as novidades

Jundiaí Notícias é marca registrada. Região Metropolitana de Jundiaí abrange Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira e Várzea Paulista.

Conectar
Cadastre-se

Insira seu email para receber as novidades