Conecte-se conosco

Inscrever-se

Jundiaí

Operação Chuvas de Verão une diferentes órgãos

A Prefeitura de Jundiaí, com coordenação de sua Defesa Civil, realiza, desde 1º de dezembro, a Operação Chuvas de Verão. O objetivo é atuar em casos de emergência decorrentes das chuvas típicas desta estação do ano (como enchentes e alagamentos), além de executar planos de ação e trabalhos preventivos. A operação segue até 31 de março (podendo ser prorrogada se as condições meteorológicas exigirem).

A Força Tarefa da Operação Chuvas de Verão é composta por todas as Unidades de Gestão da Prefeitura de Jundiaí e de outros órgãos, como a Fumas (Fundação Municipal de Ação Social) e a DAE.

“Trabalhamos sempre de forma preventiva, em busca do melhor, mas temos de estar sempre vigilantes e preparados para enfrentar toda e qualquer adversidade, afirma o gestor da Casa Civil, Gustavo Maryssael, à frente da Unidade à qual a Defesa Civil é ligada. A Operação Chuvas de Verão vai ao encontro do trabalho em plataformas de gestão, ou seja, de forma que todos os órgãos atuem juntos para a solução de problemas comuns”.

Ainda que o período da operação compreenda quatro meses, os trabalhos são realizados o ano todo para se preparar para o período de chuvas. É o caso, por exemplo, do desassoreamento de rios e córregos feito pela Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos, ou de obras que visam melhorar o sistema de água e esgoto, conduzidas pela DAE.

“Tudo isso caminha lado a lado, para que haja mais escoamento da água da chuva e, por consequência, para diminuirmos a possibilidade de alagamentos e mitigarmos o problema de grandes volumes pluviométricos, explica o assessor especial da Defesa Civil, João Osório Gimenez Germano. No entanto, é preciso manter o monitoramento o tempo todo, sobretudo em áreas que, sabemos, são mais suscetíveis a problemas como desmoronamentos e enchentes. A comunicação é sempre nossa aliada”. Gimenez declara que, no caso de a chuva ocorrer em tempos mais espaçados, a chance de problemas é menor. “O que preocupa é a grande quantidade de água em um curto período de tempo”.

A Defesa Civil faz o acompanhamento diário da intensidade das chuvas. Até 80 milímetros em 72 horas, a cidade encontra-se em estado de observação; caso ultrapasse esse índice, o município entra em estado de atenção, o que inclui a vistoria em campo, em áreas anteriormente verificadas como mais vulneráveis. “Estudos apontam que o solo de Jundiaí suporta um encharcamento de até 80 milímetros em 72 horas, sem causar potencial de riscos e com possibilidade de absorção dessa água pelo solo. Esses dados e acompanhamentos ajudam a nortear nosso trabalho, diz Gimenez. Isso não significa que não fazemos monitoramento quando chove menos. Estamos constantemente colhendo informações e buscando nos precaver cada vez mais, utilizando todos esses dados e conhecimentos observados para planejar e programar ações de prevenção nas épocas de pouca chuva, para sempre estarmos preparados para a época de muita chuva”.

Cadastre-se

Insira seu email para receber as novidades

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Matérias mais vistas

Prédio do novo Fórum da Comarca de Itupeva é inaugurado

Itupeva

TCE julga irregular repasse de R$ 98 milhões para o HSV em 2015

Jundiaí

Carnaval 2022: Veja o que abre e fecha em Campo Limpo Paulista

Campo Limpo Paulista

Cultura lança o programa Pé de Ouvido

Jundiaí

Cadastre-se

Insira seu email para receber as novidades

Jundiaí Notícias é marca registrada. Região Metropolitana de Jundiaí abrange Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira e Várzea Paulista.

Conectar
Cadastre-se

Insira seu email para receber as novidades